Os 3 Rs das Construções Sustentáveis

Os 3 Rs das Construções Sustentáveis

É indiscutível que o termo sustentabilidade seja um dos mais comuns do mercado da construção. A partir dele, outros como os 3 Rs das Construções Sustentáveis também se tornam comuns. Conheça mais sobre esse conceito e saiba como aplicá-lo em seus próximos projetos.

ENGENHARIA VERDE

A grande maioria dos profissionais arquitetos e engenheiros entende, pelo menos, o básico do conceito de sustentabilidade. Nunca se falou tanto em engenharia verde e sobre como desenvolver projetos inovadores que respeitam o meio ambiente.

Reciclar certamente recebe o maior crédito e é o termo mais conhecido por todos. Reciclar o nosso lixo é admirável e todos nós devemos fazer o nosso melhor para fazer esta tarefa verde muito simples.

Reduzir muitas vezes requer algum sacrifício que a maioria de nós não gosta ou não pode fazer. Os orçamentos apertados e a falta de planejamento são cada vez mais comuns. Consequentemente, reduzir (custos, quantidade de materiais, etc) se torna cada vez mais difícil.

Reutilizar tem sido uma tarefa complicada há muito tempo. Além disso, em nossa sociedade atual, a redução é mais frequentemente ignorada. Mas acredito que os 3 Rs têm mérito além dos nossos consumíveis.

Portanto, para traduzir de forma prática, vamos mostrar sugestões de como desenvolver um local de construção aplicando os 3 Rs das Construções Sustentáveis.

Os 3 Rs das Construções Sustentáveis

Reciclar, Reduzir e Reutilizar. Não necessariamente nessa ordem.

REDUZIR

Reduzir é provavelmente o mais impactante dos 3 Rs das Construções Sustentáveis – afinal ele é listado primeiro. Quanto mais conseguimos reduzir (consumo, desenvolvimento, etc.), menos precisamos reutilizar e reciclar. Se primeiro reduzirmos, gastamos menos tempo, dinheiro e energia tentando reutilizar, reciclar e controlar.

Nas fases iniciais do projeto do local de construção, os profissionais de engenharia e arquitetura devem pensar em como reduzir:

  • Área impermeável – Quase sempre, quando desenvolvemos um local anteriormente não utilizado, aumentamos a área da superfície impermeável. Substituindo áreas permeáveis (grama, floresta, etc.) por áreas impermeáveis (asfalto, concreto, telhados, etc.) aumentamos o escoamento de águas pluviais, reduzimos a recarga de água subterrânea, aumentamos a temperatura da superfície e criamos vários outros problemas. Se nos concentrarmos primeiramente na redução da área impermeável, podemos reduzir a quantidade de trabalho necessário para neutralizar esses efeitos.
  • Perturbação – A perturbação do solo danifica os ecossistemas do solo, destrói a vegetação, altera os padrões das águas pluviais e polui o escoamento. Alguns desses efeitos podem ser remediados ou neutralizados, mas se primeiro reduzirmos a área afetada, poderemos reduzir também o impacto.
  • Escoamento – Ambos os itens listados acima contribuem para o aumento do escoamento de águas pluviais, de modo que a primeira linha de defesa é para reduzir a área impermeável e a perturbação da terra. A ideia é conseguir realizar essa redução, focando na redução do escoamento. Muitas leis e profissionais de águas pluviais ainda se concentram apenas na redução da taxa de fluxo e não na redução de volume. Para reduzir o impacto sobre os recursos hídricos subterrâneos, a erosão e o ciclo hidrológico, também precisamos REDUZIR os volumes de escoamento para níveis de pré-desenvolvimento ou abaixo deles.

REUTILIZAR

Se REDUZIR tem o maior impacto, por ser o primeiro dos 3 Rs, a reutilização tem o segundo maior impacto. Em muitos aspectos, reutilizar e reciclar são intercambiáveis, mas aqui vamos considerar que a reutilização não exige re-fabricação, processamento, etc. Podemos aplicar isso ao projeto? Aqui está como podemos reutilizar:

  • Locais de Construção – REUTILIZAR locais anteriormente desenvolvidos é uma das melhores maneiras de limitar a degradação ambiental causada pelo processo de desenvolvimento. Além de preservar uma área preservada que seria usado em seu projeto, você também poderá aproveitar a infraestrutura existente e limitar o impacto associado ao transporte para um local mais remoto.
  • Características Naturais – as características naturais de um local para construir; topografia, características da água, vegetação, etc, foram refinadas ao longo do tempo de uma forma que é difícil ou impossível de replicar. Em vez de trabalhar contra essas características naturais, devemos nos concentrar em REUTILIZAR em benefício do local. Isso pode incluir a melhoria e a reutilização de uma área úmida existente para o manejo de águas pluviais ou o uso de copas de árvores existentes para sombrear prédios e áreas anexas.
  • Características Artificiais – Tal como acontece com recursos naturais, muitas vezes é possível e benéfico REUTILIZAR quaisquer recursos artificiais existentes no terreno. Se houver uma lagoa, estrada ou estacionamento existente no local, tente REUTILIZAR esses recursos em vez de destruir e começar de novo. Isso elimina os resíduos de demolição e economiza matérias-primas e mão-de-obra associadas à reconstrução dos mesmos.

RECICLAR

Por último e talvez o mais simples dos 3 Rs das Construções Sustentáveis, está a reciclagem. A reciclagem é certamente importante. Pode reduzir o consumo de matérias-primas, o uso de energia e o espaço do aterro, entre outros benefícios. É também uma das “ações verdes” mais fáceis e visíveis que você pode fazer.

Existem muitas coisas que você pode fazer numa construção que o público em geral não vai entender ou apreciar. Ainda assim, pode impulsionar as pessoas se relacionarem com a reciclagem e a agir de forma sustentável.

Então, além do lixo, como podemos reciclar?

  • Águas Pluviais – A sabedoria de engenharia civil tradicional / convencional era a de manter a água pluvial fora do local da maneira mais rápida e eficiente possível. Mas por que não RECICLAR isso? A água da chuva pode ser capturada e RECICLADA para ser reaproveitada em edifícios: na irrigação, na proteção contra incêndio ou na criação e restauração de ambientes naturais verdes.
  • Materiais – Há uma infinidade de oportunidades para o uso de materiais reciclados num local de construção. O pavimento reciclado de asfalto e acessórios de borracha e plástico reciclados são apenas alguns dos produtos que podem ser utilizados no processo de desenvolvimento do local da construção. Além disso, estamos incentivando a reciclagem de materiais e reduzindo a extração de matérias-primas e energia.
  • Resíduos – Quase todos os projetos de construção exigem algum tipo de demolição ou desmatamento. Especialmente quando se trata de grandes armazéns ou instalações industriais. Ao invés de simplesmente retirar esse lixo, devemos considerar as oportunidades para RECICLAR esse lixo no local. Por exemplo, concreto demolido pode ser usado como base agregada para superfícies pavimentadas. Árvores desmatadas podem ser lascadas ou trituradas no local e usadas para controle de erosão ou paisagismo. Asfalto demolido pode ser RECICLADO em novas superfícies de asfalto.

SOLUÇÕES SIMPLES PARA UMA CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL

Os 3 Rs são um bom exemplo de que tornar-se verde e criar espaços sustentáveis não tem que ser complicado. A engenharia nos ensina a decompor um problema em partes simples – e é isso que o mantra Reduzir, Reutilizar e Reciclar nos ajuda a fazer. E se você não é engenheiro ou profissional de arquitetura, esperamos que você possa usar os 3 Rs para tornar sua vida e trabalho mais sustentáveis.

Em conclusão, com certeza existem pontos que não foram abordados. As possibilidades de utilização dos 3 Rs das Construções Sustentáveis são várias. Em outros artigos, já publicados (alguns exemplos: 8 Medidas de Sustentabilidade para Instalações Industriais e Autossuficiência Energética),comentamos sobre outras técnicas. Além disso, nos próximos posts continuaremos sempre citando novidades relacionadas a sustentabilidade.

One thought on “Os 3 Rs das Construções Sustentáveis

Deixe uma resposta