O que é BIM e qual a sua importância para a engenharia?

O que é BIM e qual a sua importância para a engenharia?

O Building Information Modelling, BIM, está permeando o setor de construção a uma taxa cada vez maior.

No Brasil, a adoção ainda é considerada pequena, mas a expectativa é de que cresça nos próximos anos, especialmente com a aprovação da Estratégia Nacional para Disseminação do BIM — programa do Governo Federal que busca incentivar a aplicação da tecnologia na construção.

Mas o que é BIM e o que faz essa tecnologia ser tão importante para o setor?

O BIM é o processo de entrega e operação de um projeto usando informações digitais bem estruturadas que todas as partes envolvidas têm acesso. Parece simples, mas é um conceito bastante complexo, o que pode criar barreiras para que muitas empresas adotem a tecnologia.

Para te ajudar, fizemos este post completo com tudo que você precisa saber sobre o BIM e sua importância para a Engenharia e para o mercado. Acompanhe conosco!

O que é BIM?

Quando traduzido do inglês, BIM é algo como “Modelagem da Informação da Construção”, o que nos leva a pensar que o BIM é apenas uma ferramenta pela qual um projeto de construção é realizado.

É também, mas o BIM vai muito além disso — ele é uma maneira de trabalhar que se baseia na colaboração entre todas as partes de um projeto.

O que está por trás do Building Information Modeling é um modelo tridimensional que consiste na junção das informações de cada um de seus componentes. Esses dados são inseridos simultaneamente em um ambiente online.

A informação nesse modelo é tão meticulosa e detalhada que abrange todas as formas possíveis pelas quais os elementos individuais podem ser especificados. Modelos de informação podem ser usados para informar todos os estágios do ciclo de vida de um ativo construído; desde o início até a operação e renovação.

O que é o modelo BIM?

Seja qual for o seu papel na indústria da construção — seja estudante ou profissional — você provavelmente já ouviu pessoas falando sobre modelos BIM.

O BIM não é novo. O termo apareceu pela primeira vez em 1962, quando Douglas Engelbart escreveu seu artigo “Aumentando o Intelecto Humano: Uma Estrutura Conceitual” e descreveu o arquiteto inserindo especificações e dados em um projeto de construção e observando uma estrutura tomar forma — um conceito muito semelhante à moderna modelagem paramétrica.

Agora, quando a maioria das pessoas ouve a palavra modelo, isso pode significar um número de coisas. No contexto da construção, poderia ser um modelo físico para mostrar como um prédio proposto ou um espaço poderia ser, ou um modelo 3D em um computador.

Contudo, nenhuma dessas coisas é realmente um modelo BIM.

Em um processo de modelagem de informações de construção, uma equipe de projeto contribui com informações e dados sobre um edifício proposto ou estrutura em um espaço digital compartilhado para que todos que precisam vê-lo o possam fazer.

Pode ser uma extranet, um servidor ou um sistema baseado em nuvem. As informações digitais fornecidas no modelo BIM podem incluir especificações, cronogramas, desempenho, requisitos, programas, planos de custos e assim por diante — e, claro, alguns desenhos.

Esses desenhos são criados em 3D por diferentes membros da equipe do projeto em particular. Quando você explora e clica em diferentes partes da representação 3D, poderá acessar informações detalhadas sobre elas.

Clicar em uma luz, por exemplo, poderá fornecer informações sobre o fabricante, o prazo de entrega, custo, nível de desempenho e quando será necessário substituí-la.

A coisa toda é conhecida como um conjunto de dados ou modelo de informações. Quando você ouve as pessoas dizerem ‘Modelo BIM’ é sobre isso que estão falando: um modelo de informações de construção.

Por que o BIM importa?

Você provavelmente já percebeu que a diferença com uma abordagem de modelagem de informações de construção — ao contrário de fazer da maneira antiga — é que a informação, nesse caso, é mais claramente estruturada e mais fácil de encontrar em um só lugar.

Isso permite que as equipes de projeto entreguem edifícios de maior qualidade com mais eficiência. Além disso, o BIM possibilita aos usuários finais que realmente entendam como seus ativos que estão sendo construídos funcionarão.

Mas essa é uma forma simplista de explicar os benefícios do BIM. Para entendê-los melhor, vamos destrinchá-los abaixo:

1. BIM é mais do que apenas reunir informação; ele automatiza o comércio

O BIM é mais do que um regime regulatório para a indústria da construção; ele também fornece uma estrutura para interação da cadeia de suprimentos, reduzindo o atrito habitual nas transações.

Para os profissionais envolvidos em um projeto, o BIM permite que um modelo de informação virtual seja entregue da equipe de design ao empreiteiro e subcontratados, e depois para o proprietário.

Cada profissional adiciona dados específicos da sua atividade ao modelo compartilhado único. Isso reduz as perdas de informações que tradicionalmente ocorrem quando uma nova equipe se apropria do projeto e fornece informações mais extensas aos proprietários de estruturas complexas.

2. O BIM é mais do que modelagem 3D

Embora a Modelagem 3D e o Projeto CAD sejam um elemento de qualquer iniciativa BIM, o valor real está na padronização dos fluxos de informações não estruturados e nos processos simplificados resultantes.

Os avanços do BIM são o que fazem a diferença para o compartilhamento de dados e a colaboração perfeita. Novos processos e tecnologias estão capacitando arquitetos, projetistas e contratados a trabalhar de forma mais rápida, mais precisa e econômica.

A riqueza de informações facilmente acessíveis sobre os locais de projetos expandiu-se bastante com melhores ferramentas de mapeamento. Hoje, o projeto começa com imagens aéreas feitas por drones, juntamente com varreduras a laser da infraestrutura existente, capturando com precisão a realidade e simplificando muito os preparativos do projeto.

Com o BIM, os designers se beneficiam de toda essa entrada compilada e compartilhada em um modelo, de uma forma que o papel não é capaz de capturar.

3. O BIM aumenta colaboração final entre as equipes do projeto

Compartilhamento e colaboração são essenciais em todo o setor de construção. No entanto, no passado, o trabalho colaborativo muitas vezes levou a vários problemas.

Com projetos envolvendo muitas vezes diferentes designs (e diferentes versões de um único design), não é de admirar que ocorra alguma confusão. Agora, no entanto, as equipes podem confiar na funcionalidade de nuvem do BIM para garantir um processo mais suave ao trabalhar de forma colaborativa.

Todos os estágios do ciclo de vida de um projeto estão disponíveis na nuvem. Isso permite visualizar os projetos no local ou fora do local, em qualquer dispositivo conectado — o que, por sua vez, ajuda a melhorar a comunicação e a coordenação entre as equipes.

Todos podem revisar e marcar designs. E com um histórico de versão completa da evolução de um projeto, não é preciso mais se preocupar com desaparecimentos ou corrupção de arquivos. Essencialmente, o BIM ajuda a otimizar e coordenar a comunicação e a colaboração entre as equipes.

4. O BIM torna torna o custo do projeto mais efetivo

Uma das principais questões no setor de construções é o custo. Imagine um projeto que avance para a fase de construção apenas para que os arquitetos percebam que há um conflito na estrutura.

Seja um cano passando por uma parede ou algum outro problema, uma coisa é certa: vai ser extremamente caro parar a construção para “editar” o design.

Com o BIM, no entanto, é possível automatizar a detecção de interferências. Isso significa poder detectar confrontos antes de começar a construir sua estrutura. O BIM é ainda mais econômico na medida em que cada etapa é registrada, o que discutiremos mais adiante no ponto abaixo.

Assim, os usuários têm um registro de cada etapa do ciclo de vida de uma estrutura. Isso reduz a quantidade de trabalho de documentação necessário pois você não precisa se preocupar com a duplicação de projetos ou retrabalho. Nesse sentido, é possível economizar tempo e dinheiro.

5. O processo de construção no BIM é realizado passo a passo

Como dá para imaginar, construir uma estrutura exige muito tempo e esforço. Um único projeto poderia envolver centenas de desenhistas, engenheiros e arquitetos.

Por que isso é um problema? Imagine um designer fazendo uma alteração em uma planta baixa, apenas para descobrir que metade de seus colaboradores está usando a versão mais antiga em vez da versão revisada.

Pior ainda, eles podem estar criando um modelo 3D baseado em um plano antigo. A questão é que pode ser incrivelmente difícil manter todos os envolvidos atualizados com a documentação correta.

Um dos principais benefícios do BIM é que cada fase de projeto e construção é totalmente coordenada. Ele permite ver facilmente o passo a passo para materiais ou equipes, e assim por diante.

Cada processo está disponível para todos os membros por meio de computação na nuvem. Com cada passo sendo bem documentado e acessível, menos tempo é necessário para rever cada etapa.

O Building Information Modeling tornou-se uma ferramenta inestimável, com uma abundância de benefícios para a indústria da construção.

E você, o que achou do BIM e como espera que essa tecnologia afetará o mercado da construção nos próximos anos? Comente abaixo e compartilhe suas ideias conosco!

Deixe uma resposta