Engenheiro Civil e Mestre de Obras: quais as funções de cada um?

Engenheiro Civil e Mestre de Obras: quais as funções de cada um?

Engenheiro Civil e Mestre de Obras muitas vezes são confundidos durante o desenvolvimento de um projeto. Mas a verdade é que, apesar da confusão, as duas atividades são diferentes, complementares e vitais para o bom andamento da obra.

Para entender de vez quais as funções de cada um, continue lendo este artigo.

 

Engenheiro Civil

É muito provável que você tenha uma noção das atividades desenvolvidas pelo Engenheiro Civil. Este é o profissional encarregado de garantir que o projeto elaborado pelo arquiteto seja realizado. Mas detalhe: geralmente o arquiteto também é responsável por acompanhar o andamento da obra até a sua fase final.

O engenheiro deve:

  • desenvolver o planejamento da obra;
  • monitorar o andamento da obra;
  • certificar que a estrutura do projeto é a ideal;
  • realizar cálculos estruturais;
  • cuidar da parte hidráulica e elétrica;
  • executar a construção.

 

Mestre de Obras

Enquanto Arquitetos e Engenheiros projetam a obra, o Mestre ou Encarregado de Obras é responsável por outra parte dela. Este é o profissional que irá supervisionar e fiscalizar a construção do começo ao fim.

Mas não pense que o trabalho do Mestre de Obras é fácil… é preciso conhecer e controlar todas as etapas do projeto.

Logo, é de responsabilidade do Mestre de Obras:

  • supervisionar e acompanhar o andamento da obra;
  • fiscalizar materiais utilizados;
  • supervisionar as atividades dos encarregados;
  • definir funções e frentes de serviço;
  • garantir o bom andamento da obra.

O Mestre de Obras é uma peça indispensável durante o andamento do projeto. Afinal, sem esta pessoa todos os problemas, por mínimos que sejam, teriam de chegar ao engenheiro para serem resolvidos, logo, haveria desperdício de tempo e recursos.

 

Engenheiro civil x Mestre de Obras: é a mesma coisa?

Não. Além das diferenças expostas acima ainda existem outros fatores que diferenciam as atividades do Engenheiro Civil das referentes ao Mestre de Obras.

Primeiro, o mestre não é necessariamente um engenheiro, portanto, ele não precisa projetar nada dentro de um projeto. Porém é preciso que ele tenha expertise para ter o controle sobre as diversas etapas da construção.

Além disso, cabe ao mestre certificar-se que as normas de segurança sejam cumpridas, para que acidentes sejam evitados. Também cabe a ele garantir a qualidade do serviço no canteiro.

Por sua vez, o Engenheiro Civil será o responsável por estipular metas de produção da equipe. E, apesar do mestre filtrar parte dos problemas que ocorrem no canteiro, alguns serão de responsabilidade do engenheiro.

Logo, cabe ao engenheiro estudar profundamente seus projetos para entender o que será construído e, assim, conseguir resolver os problemas mais graves que poderão surgir.

 

Conclusão

Muitas pessoas acreditam que pelo fato do engenheiro ter que conhecer toda a obra ele pode assumir também a função de encarregado, mas não é bem assim.

Apesar das atividades se complementarem, o canteiro de obras é envolvido por uma série de questões que precisam ser trabalhadas de forma e também em etapas diferentes.

Portanto, não é indicado que a mesma pessoa ocupe as duas funções, afinal, o mestre de obras é um filtro para os problemas que devem chegar ao engenheiro.

 

E se você quer saber mais sobre o andamento de uma obra e o que fazer para melhorá-la, leia também: A importância da Gestão de Projetos na construção civil

One thought on “Engenheiro Civil e Mestre de Obras: quais as funções de cada um?

  1. Comecei como ajudante em 1966, em 1974 já era encarregado e, em 1978 passei a mestre de obras após ter feito o curso em 8 (oito meses). Tinha só o curso primário mas estudava muito por correspondência pelas Escolas Internacionais da America Latina, depois Escolas Internacionais (as mesmas formaram muitos Engenheiros das Industrias automobilísticas). Trabalhei na Construtora Beter SA (civil) e Sade – Sul Americana de Engenharia SA (montagem industrial). De 1980 a 2011 trabalhei na Camargo Correa SA (civíl) Tenenge SA (montagem industrial) Odebrecht SA (montagem industrial) e OAS SA (civil). Nestes 45 anos de atividades tive mais de 30 (trinta) Engenheiros como “chefes” e nunca nos desentendemos, com todos eles só tive a aprender e, ainda hoje mesmo distante, com alguns continuamos nossa amizade.

Deixe uma resposta